Testes rápidos e questionários são feitos em parceria com a UFG e vão mapear a incidência da Covid-19 no município. Resultado da pesquisa sairá em 15 dias

Para monitorar a pandemia de Coronavírus em Aparecida de Goiânia, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) iniciou na sexta-feira, 08, com o apoio da Universidade Federal de Goiás (UFG), um inquérito populacional para conhecer o número de pessoas que já tiveram a doença e desenvolveram anticorpos, além de definir estratégias adequadas para enfrentar e prevenir a circulação do Sars-CoV-2 e tratar os doentes. Profissionais da pasta irão sortear residências por toda a cidade para fazer testes rápidos em mais de 1,2 mil moradores que também responderão a um questionário produzido por um pesquisador da Universidade. Os resultados da pesquisa devem sair em cerca de 15 dias.

Segundo a coordenadora de Gestão e Inovação em Saúde da SMS, Érika Lopes, o teste é feito a partir da coleta de uma gotinha de sangue da ponta do dedo do entrevistado. “Esse material é colocado sobre a superfície do teste, que indicará se a pessoa teve contato com o Sars-CoV-2 e se já desenvolveu anticorpos para a doença. Enquanto o resultado do exame – que leva cerca de quinze minutos para ficar pronto – não sai, será aplicado um questionário com perguntas importantes para as análises estatísticas e projeções epidemiológicas”, afirmou. Segundo ela, pesquisadores da UFG serão os responsáveis pela definição da metodologia do estudo e pela avaliação estatística dos resultados.

Para o secretário de Saúde Alessandro Magalhães, que também preside o Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao novo Coronavírus, a proposta é que a testagem aleatória reflita como está a circulação do vírus na cidade, visto que abrangerá pessoas assintomáticas: “O prefeito Gustavo Mendanha determinou a realização desse estudo porque ele entende que é importante termos mais dados para a estruturação de novos leitos e até mesmo para debatermos medidas apropriadas para uma futura flexibilização do isolamento social e a gradativa reabertura das atividades da cidade, quando for possível. Assim, a ideia é realizar ciclos de testagem aleatória a cada 15 dias, para acompanharmos a evolução da contaminação e estarmos sempre bem subsidiados em nossas decisões”.

A primeira moradora de Aparecida a ser testada foi a Dona Maria José, moradora do setor Buriti Sereno. As equipes de agentes de saúde passaram na manhã desta sexta-feira, 08 em sua casa, e seu teste deu negativo para Covid-19. A moradora respondeu todo o questionário que continha as seguintes respostas: Não teve contato com ninguém com a doença; ela e o esposo fizeram o isolamento de março até momento e não mudaram a rotina; só saiu de casa para ir ao mercado e usando máscara; começou a usar a máscara há três semanas; usa álcool em gel quando não pode lavar as mãos; manteve o isolamento quando as atividades da cidade voltaram a funcionar e não teve contato com menos de um metro com ninguém.

Outros testes

Desde o dia 22 de abril a Prefeitura ampliou de 15 para mais 300 a realização semanal de testes para diagnóstico de Coronavírus. Diferente dos testes rápidos que serão aplicados em domicílios, essa ampliação se deu por meio da contratação dos serviços de um laboratório privado do município. “São testagens completamente diferentes. Para ampliação do diagnóstico, contratamos um laboratório da nossa cidade para realização do exame do tipo RT-PCR, que faz a identificação do vírus por meio de secreção respiratória e é o mais recomendado para diagnóstico da infecção aguda sintomática. Os testes são realizados mediante prescrição médica, nas UPAs da cidade, em grupos prioritários, e os resultados ficam prontos em até 24 horas. Já os testes rápidos aplicados em domicílio servirão para o inquérito populacional”, explicou Alessandro.