Enquanto o ministro da Economia Paulo Guedes quer que os brasileiros morram mais cedo para não gerar despesas para a Previdência, em Aparecida de Goiânia a administração municipal trabalha para gerar novas oportunidades para a população. Apenas no primeiro trimestre deste ano 3.050 novas oportunidades de trabalho foram criadas na cidade.

Em Brasília o ministro da Economia, Paulo Guedes, que ainda não conseguiu fazer o dever  de casa, reclama que o brasileiro quer viver muito:

“Todo mundo quer viver 100 anos, 120, 130 [anos]”, declarou Guedes. Segundo Paulo Guedes, “não há capacidade de investimento para que o estado consiga acompanhar” a busca por atendimento médico crescente.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o desemprego no Brasil já alcança 14,1 milhões de brasileiros, enquanto a covid-19 levou mais de 403 mil vidas por falta de vacina e de políticas de prevenção por parte do governo federal.

Mas esta não é a realidade de Aparecida de Goiânia.

Ao contrário de centenas de cidades brasileiras que perderam e seguem perdendo postos de trabalhos devido à crise econômica causada pelas consequências da pandemia da Covid-19, Aparecida se destaca no cenário estadual e nacional com saldo positivo entre demissões e contratações. Dados consolidados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontam que apenas nos três primeiros meses deste ano, o município ofertou 3.050 novos postos de trabalho.

A construção civil, a indústria e o comércio são os setores produtivos que mais empregam em 2021. Em janeiro, foram criadas 1.598 vagas, outras 935 em fevereiro e 517 em março, conforme divulgado no Painel de Informações do Novo Caged – dispositivo legal utilizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego para acompanhar a situação da mão de obra formal no Brasil.

Mais empregos

Entre as 15 maiores cidades do Estado de Goiás, Aparecida fica atrás apenas de Goiânia, que no primeiro trimestre registrou saldo positivo de 39.804 empregos formais. Anápolis, que é a terceira colocada, tem saldo positivo de 2.906 e Catalão, a quarta, 1.211.  A cidade também tem saldo melhor que quatro capitais brasileiras: Florianópolis-SC, Vitória-ES, Aracaju-SE e Teresina-PI.

Motorista de caminhão há oito anos Josélio Rodrigues Siqueira, 33 anos, ficou apenas alguns dias desempregado após ser demitido de uma transportadora em fevereiro. Uma nova oportunidade surgiu e ele já está com a carteira de trabalho assinada novamente. “Sou do Estado do Tocantins. Cheguei em Aparecida, em 2013 com emprego arrumado. Antes trabalhava como jardineiro e porteiro.  Desde que tirei a CNH D e comecei a trabalhar como motorista profissional não fiquei parado. Tem muito emprego aqui [em Aparecida]”, aponta o morador do Setor Marista Sul.

Em 2013, o motorista de caminhão Josélio Rodrigues deixou o Tocantins , agora, trabalha e mora em Aparecida (Foto: Arquivo pessoal)

Darci Bueno dos Santos, 41 anos, é auxiliar administrativa, mas em 2020 logo no início da pandemia perdeu o emprego. A chefe de família não perdeu tempo e ao invés de lamentar foi à ‘luta’. Juntou as economias, fez cursos e se tornou uma microempreendedora no ramo de geleias naturais e também vendeu pamonhas via aplicativo de mensagens.

“Estava trabalhando com geleias e pamonhas, mas com a segunda onda da pandemia as vendas caíram, pois as pessoas estavam sem dinheiro. Porém, graças a Deus consegui um trabalho com carteira assinada no início de 2021. Em Aparecida, mesmo com essa crise as empresas estão contratando” comemora a trabalhadora que mora no Parque Primavera.

Auxiliar Administrativo Darci Bueno enfrentou a pandemia empreendendo. No início deste ano, voltou a trabalhar com carteira assinada (Foto: Arquivo pessoal)

“Vários fatores ajudam explicar este cenário positivo. Entre eles, a localização estratégica de nossa cidade que segue atraindo novas empresas do setor de logística e transportes, as medidas implantadas pela Prefeitura de Aparecida durante a pandemia, que garantem o funcionamento da economia local e manutenção dos empregos e, sobretudo, a vocação empreendedora de nossa gente que mesmo neste momento difícil segue trabalhando e acreditando no potencial de nossa cidade”, aponta o prefeito Gustavo Mendanha.

SIME

Em Aparecida, o trabalhador que busca recolocação no mercado de trabalho conta com auxílio do Sistema Municipal de Emprego (SIME). O órgão é responsável pela captação de vagas e pelo encaminhamento dos trabalhadores às empresas contratantes. Semanalmente centenas de vagas em diversas áreas são divulgadas.

O desempregado agenda atendimento em uma unidade do Serviço ao Cidadão (SAC), preenche formulário com informações pessoais e profissionais. No mesmo dia, caso o SIME tenha vaga para o perfil do candidato, ele já é encaminhado para uma entrevista de emprego. A vantagem, neste caso, é que as empresas estão localizadas em Aparecida. Com isso, o trabalhador que já mora na cidade não precisará se deslocar a outros municípios para trabalhar.

PIB de Aparecida cresce 122% nos últimos dez anos

“Apesar da pandemia Aparecida tem saldo positivo na geração de empregos neste primeiro trimestre assim como fechou o ano de 2020. Nossa cidade é conhecida como uma cidade inteligente pelos investimentos feitos em tecnologia, mobilidade e também pela desburocratização que incentiva a abertura de novas empresas. Tudo isso somado às ações adotadas nesse período pandêmico para que as atividades comercias não fossem prejudicadas contribuem para a manutenção e também abertura de novas vagas”, analisa o secretário municipal do Trabalho, Jeferson Ferreira da Silva.

Qualificação

A Secretaria Municipal do Trabalho em parceria com instituições de ensino e qualificação oferece cursos profissionalizantes em diferentes áreas. Na modalidade EAD, o trabalhador tem a oportunidade de se qualificar ou aperfeiçoar conhecimentos em sua área de atuação ou até mesmo aprender uma nova profissão.

Neste primeiro semestre, serão oferecidos centenas de cursos gratuitos e com certificado. A plataforma Trabalho Aparecida (trabalho.aparecida.go.gov.br) também auxilia o trabalhador a elaborar currículo atraente, disponibiliza dicas de comportamento profissional e como emitir a Carteira de Trabalho Digital.

Casa do Empreendedor

A Casa do Empreendedor é um espaço destinado aos microempresários do município que orienta sobre impostos, alvarás, financiamentos de créditos, capacitação e outras necessidades relacionadas a abertura do próprio negócio. A instituição facilita a vida do pequeno empresário para que tenha condições de concorrer com outros negócios do ramo, além de reduzir prazos, documentação e taxas para a emissão de alvarás, licenças e outros processos. A Casa do Empreendedor está localizada na Avenida Independência, Qd. 3, Lt. 3, Cidade Livre.