Secretaria Municipal de Saúde capacita profissionais para atendimento voltado aos transtornos mentais relacionados ao trabalho.

A Superintendência de Vigilância em Saúde do município deu início na última semana a uma agenda de cursos de capitação voltados à área da Saúde do Trabalhador. O curso “Capacitação em Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas para Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho” tem o objetivo de sensibilizar e capacitar os profissionais que atuam na área da Saúde Mental sobre as novas tratativas de identificação, notificação e de tratamento dos Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho (TMRT).

A primeira capacitação aconteceu na última quarta-feira (7) no Centro de Atenção Psicossocial Bem-Me-Quer (CAPS) e contou com a participação de todos os trabalhadores que atuam na unidade. As próximas acontecerão no Núcleo de Cuidados Em Saúde Mental na quarta-feira(14/08) e no Caps Álcool e Drogas Criarte Vida (28/08), das 8h30 às 11h30.

“O município de Aparecida tem realizado um trabalho considerado de referência nacional na área da Saúde Mental, com todas as modalidades dos CAPS e todas as ações relacionadas ao tema. Inclusive em diversas situações o próprio Ministério da Saúde utiliza o trabalho realizado por nossas equipes como caso de sucesso na área. O que estamos fazendo é valorizar ainda mais este trabalho. Este tipo de capacitação é mais uma demonstração da seriedade e do compromisso da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e de seus profissionais com a qualidade de vida dos nossos trabalhadores, dos nossos cidadãos” – pontua o prefeito Gustavo Mendanha.

Pesquisa

Uma pesquisa realizada pela Vigilância Epidemiológica, utilizando a base de dados Históricos da Previdência Social, avaliou que entre 2012 e 2016 os transtornos mentais e comportamentais foram à quinta causa de registros de acidentes de trabalho no país (93794 registros). Foram também a quarta causa na concessão de benefícios do tipo auxílio doença (975873 registros) e a terceira causa na concessão de benefícios do tipo auxílio-doença acidentário (55366 registros). Isso mostra que os transtornos neuróticos, os transtornos relacionados com o “stress” e os transtornos somatoformes integram o grupo de transtornos mentais mais prevalentes no registro de acidentes e essa realidade também se passa em Goiás.

“Os TMRT são uma questão de saúde pública, em conjunto com os demais agravos e doenças relacionados ao trabalho. Por isso, como parte do como parte do Programa de Saúde do Trabalhador, estamos estabelecendo todas essas diretrizes para balizar todo o trabalho de Vigilância a respeito desse tipo de transtorno mental que tanto crescem em todo o país” – esclarece a superintendente de Vigilância em Saúde do município, Vânia Cristina Rodrigues Oliveira Camargo.

Segundo a coordenadora de Vigilância Epidemiológica do município, Luzia dos Santos Oliveira, a vigilância e o monitoramento desse agravo permitem vislumbrar a magnitude dessa importante questão que envolve os trabalhadores em geral. “Essas diretrizes terapêuticas irão delinear todos os aspectos relativos às possíveis intervenções e às formas de acompanhamento contínuo da vida no trabalho de cada trabalhador” – completa.

Ana Mari Soares Dickmann, responsável pela chefia do Programa Saúde do Trabalhador, explica que a capacitação acontece em parceria com o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Estado de Goiás (Cerest/GO). “A promoção da saúde do trabalhador é um processo que resulta do esforço conjunto de empregadores, trabalhadores e sociedade em geral, para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas no trabalho. Isso tem sido realizado por meio dessas ações, que visam melhorar a organização do ambiente de trabalho, permitindo escolhas saudáveis e encorajando o desenvolvimento pessoal”.