Obra iniciada em 2013, foi alvo de paralisações e investigações em 2018 e ainda não tem data inauguração

Previsto para ter 21 km de extensão, o Anel Viário de Anápolis foi pensado para garantir o escoamento de cargas no corredor Goiânia-Anápolis-Brasília. O projeto estabeleceu que o contorno de Anápolis tivesse uma pista de 21 km de duplicação, nove viadutos e trincheiras (distrito de Interlândia, ligação Miranápolis, saída Jaraguá, Jardim Progresso, saída Corumbá, saída Leste, Jardim Europa, saída Brasília e Daia) quatro passarelas e cerca de 15 km de vias  marginais. Por enquanto o que se tem hoje são pouco mais de 7 km de via e muitos problemas ainda para serem solucionados.

Lançada em 2013, a obra do Anel Viário ainda não tem previsão de entrega. O projeto inicial previa que o governo de Goiás faria 7 km da pista e o governo federal outros 14 km. Nestes anos, a pista avançou aos trancos e barrancos do lado estadual, mas não se tem notícias da contrapartida federal, pois neste período o país passou por três presidentes: Dilma Roussef (deposta em 2016), Michel Temer (2016-2018) e o atual mandatário, Jair Bolsonaro que assumiu em 1º de janeiro de 2019. Neste interim, uma denúncia levou à paralisação da obra, inquérito e detenção de ex-dirigentes dos governos que iniciaram a obra: Marconi Perillo e José Éliton.

O governador Ronaldo Caiado (DEM) já disse em entrevista que a obra será concluída, mas criticou os “mal feitos” na sua execução:

“Essa obra está 100% condenada e foram gastos R$ 15 milhões da população de Goiás, dinheiro desviado por corrupção”, disse Caiado. O Anel Viário vistoriou os sete quilômetros de extensão entre a BR-153, a GO-330 e o Daia. Além desta obra, o governador também vistoriou a execução do recapeamento de 33 vias no Daia. Serão 18 mil metros quadrados atendidos pela operação tapa-buraco”, disse Caiado em entrevista ao Jornal Opção veiculada em 09/02/2020, por ocasião da visita a Anápolis.

Em nota ao Onze de Maio, a Goinfra disse que o Anel Viário continua dentro das prioridades da administração estadual, mas não apontou data para sua retomada ou finalização. Confira:

 

NOTA – Goinfra

 A propósito das informações solicitadas pelo site Onze de Maio sobre o Anel Viário de Anápolis, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) informa o que se segue:

– O Anel Viário de Anápolis faz parte das obras prioritárias da Goinfra para o biênio 2021/2022. O projeto para realização da obra está em processo licitatório.

– Haverá intervenções da Goinfra em aproximadamente 10 quilômetros do Anel Viário, com a implantação e/ou restauração de parte do trecho e a duplicação de outra parte.

Goiânia, 20 de abril de 2021

 

Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes

 

 

 

Raio X sobre o  Anel Viário de Anápolis

Obras de combate a erosão no Anel Viário – Foto: Goinfra

1º /10/2013 – Concorrência pública feita pela Codego define a Trade Construtora vencedora da licitação de R$ 11.266.662,15, com prazo de um ano para conclusão da obra;

15/08/2014 – Rescisão do contrato entre a Trade e a Codego.

04/09/2014 – Codego faz dispensa de licitação e contrata a Jofegê Pavimentação e Construção para retomar as obras no valor de R$ 9.683.272,28.

06/03/2015 – 1º Termo Aditivo do contrato e prorrogação de 5 meses para término da obra.

29/07/2015 – Codego paralisa as obras por falta de repasse do FunProduzir, fonte de recursos para o empreendimento.

19/07/2017 – 2º Termo aditovi do contrato, com reajuste de R$ 1.023.628,26, com previsão de entrega da obra para abril de 2018.

04.09.18 – Governo Zé Eliton anuncia que a obra entrou na fase final com investimentos de R$ 15,49 milhões para pavimentação de 7 km. O total da obra é de 21 km, sendo que destes, 14 km são a cargo do 14 km estão a cargo do Ministério das Cidades, do Governo Federal.

20/04/2018 – 3º Termo Aditivo e prorrogação para conclusão por 105 dias, com entrega para agosto de 2018.

14/09/2018 – 4º Termo Aditivo, no valor de R$ 2.223.910,33, que somado aos demais, passou a obra para o valor de R$ 12.488.661,49, com previsão de entrega para 31/01/2919

13/12/18 – Delação aponta fraude no 4º Termo Aditivo com acréscimo de R$ 2.223.910,33 (21,67%), passando de R$ 10.264.751,16 para R$12.488.661,49

26/11/19 – MP recomenda retomada das obras do Anel Viário e solução para a erosão e sinalização na pista. Um novo contrato foi firmado Estado em acordo com o Ministério Público Estadual. O novo contrato já está licitado e a obra deverá custar cerca de R$5,5 milhões