No artigo dessa semana quero abordar um tema que geralmente não damos importância, porque nunca paramos para saber se sou solução ou problema em minha vida.

Por André Soares
Olá leitoras e leitores que, ao longo dos meses, vem acompanhando a nossa coluna semanal pelo Jornal Onze de Maio.

Quando busco a clareza sobre a vida, é para poder aprender a lidar com as dificuldades, que constantemente surgem para desafiar a minha vontade de vencer ou de ficar parado esperando que tudo passe com um piscar de olhos.

No artigo dessa semana quero abordar um tema que geralmente não damos importância, porque nunca paramos para saber se sou solução ou problema em minha vida.

A grande tendência do ser humano é potencializar ao máximo tudo, seja positivo ou negativo. Como diz um ditado popular “fazer tempestade num copo d´água”. Ainda mais se a situação for negativa, a mente não vai parar de buscar situações para alimentar essa negatividade.

Já ouviram falar em engenharia?
O dicionário traz o significado como: Aplicação de métodos científicos, com a utilização dos recursos da natureza em benefício do ser humano.

Mas já ouviram falar em engenhar?
O dicionário traz: conceber na imaginação, idear, inventar, arquitetar, construir.
Engenhar é você fazer com que as coisas aconteçam da forma que deseja.

Desta forma devemos engenhar a vida, construir da forma que desejamos. Para engenhar a vida é essencial saber o que realmente quero e desejo para a minha vida.

Quando não sei o que quero, vou fazer qualquer coisa sem sentido e, para piorar, vou ficar frustrado transformando a vida em um grande problema.
E o que acontece no final?
Irá construir algo que não fará sentido algum. Irá investir tempo, dedicação e, no final das contas, não servirá para nada. Por isso aprender ter clareza, conectar-se com o seu interior, é de suma importância para uma vida voltada à ação ao invés de reclamação.
Se insistir em engenhar algo que não faz sentido, depois não adianta querer culpar as pessoas porque nada funciona, porque não consigo ou que sou incapaz, que a vida está ruim. Acaba vivendo com uma energia negativa, não tendo ânimo para fazer nada novo.

Quantas vezes gasto energia com algo que não desejo?

Já parou para refletir de que forma está usando o seu engenhar?

De que forma está usando a sua energia?
Muitas vezes essas perguntas ficam sem respostas, porque nem sei o que está acontecendo. A vida está tão no automático que acabo nem percebendo o que está sendo feito.

Por isso quando chega o final do dia, estou tão cansado, exausto, sem energia alguma, sem vontade de fazer absolutamente nada e com aquela sensação de querer só ficar deitado. No dia seguinte, levanto ainda mais cansado, pois não consigo dormir de tanta energia negativa que foi gerada.
Diante desta situação, preciso usar a sabedoria ao meu favor.
A sabedoria do questionamento.
Saber por que estou fazendo isso?
Para onde isso está me levando?
Qual a finalidade dessa ação?
Temos o poder de realizar o que desejamos, desde que saibamos o que realmente desejamos.

Não posso ser um tolo por achar que as coisas na vida vão se ajeitar sozinhas, que as coisas acontecem apenas pelo acaso ou que tudo vai se ajeitar porque outras pessoas têm a obrigação de fazer para mim ou por mim.
Preciso parar de contar historinha para mim. Parar de criar problema onde não existe e viver a realidade, viver o agora, o hoje e, assim, abrir as portas das oportunidades que me fazem avançar todos os dias.

Quando escolho um caminho já pavimentado, uma jornada que não é minha estou escolhendo a vida mais fácil, ou seja, a vida sem desafios, sem oportunidades e, pior, querer ser igual a alguém ou querer viver a vida de outra pessoa.
Quem já passou por isso?

Agora, quando deparo com um caminho que não é o meu, preciso entender por que estou nesse caminho?
É para aprender?
É para dialogar?
É para pedir ajuda?

Se o meu caminho não está pavimentado, então chegou a hora de construir a minha jornada da forma que desejo.

Sempre volto nesse ponto “do que desejo”, pois não adianta nada fazer algo que não quero. Existe estratégia que serve para outras pessoas, mas pode não servir para mim, justamente porque não existem pessoas iguais. Cada um tem a sua vida e a forma de viver.
Não se esqueça que a parte importante desse processo de autoconhecimento é entender de que forma estou usando a minha energia para engenhar o meu caminho. De que forma estou vivendo a minha jornada de vida.
Esse ponto é como uma forma geométrica, que se encaixa perfeitamente.

Por isso não posso deixar de sonhar, criar objetivos e de viver uma vida com amor e alegria em tudo que estiver fazendo.

Como uma forma geométrica, o objetivo precisa estar alinhado a um planejamento que estará atrelado a uma ação que, por sua vez, estará ligada à energia que vai estar ligada à satisfação do objetivo.

Desta forma, a geometria da vida irá funcionar perfeitamente em direção ao meu objetivo. Claro que terei tempestades no meio do caminho, mas nessa hora eu preciso ser a solução e não o problema em minha vida.

Agora nesse processo todo o que não pode acontecer?
É a mente e o corpo que ficam no caminho impedindo de avançar. Não adianta ter mente e corpo doentes. Debilitados não vão conseguir gerar energia positiva para enfrentar os desafios que surgem para alcançar os objetivos planejados.

Não posso ser um problema. Preciso ser a solução.
A cada problema que diz ter, precisa arrumar três soluções. O problema está lá gerado ou não por você, mas ele está lá. Ele só será resolvido se tiver uma solução.
Não posso esquecer que existem pessoas que já vivem a solução, mas preferem só gerar problemas.

Chego à conclusão que existem pessoas que trabalham para encontrar soluções e têm pessoas que trabalham para criar problemas.
Hoje você cria solução ou problema?
Quando me deparo com essa pergunta, preciso entender que se estiver triste, sofrendo, sozinho, angustiado, gerando só energia negativa, além de atrair pessoas assim, não vou conseguir pensar em nada positivo e muitos menos na solução.

A solução do problema não é querer resolver o externo.

A solução do problema é resolver o interno.

Se não entender isso com clareza, então chegou a hora de pedir ajuda. A mudança na vida é de dentro para fora e não ao contrário. Preciso ser uma pessoa que impacta a minha vida e não uma pessoa que vive a opressão do sistema, que impõe as suas vontades sem perguntar se desejo ou não.

Ao pedir ajuda, está dando a oportunidade de aprender mais sobre você e assim terá condições de engenhar a vida que deseja.
Ao pedir ajuda está buscando ser a solução e não o problema.

André Soares
Coach | Escritor
[email protected]
Instagram: @andresoares_coach