Tudo em nossa vida é uma busca. Uma busca para alcançar os sonhos, uma busca para alcançar produtividade, uma busca para ter produtividade, uma busca em ser o melhor em tudo.


Passei muitos anos da minha vida sempre buscando ter um sucesso que não era pessoal, mas um sucesso que fosse reconhecido pelas pessoas e não por mim. Era uma vida vazia repleta de caminhos escuros que tive que percorrer. No artigo da semana passada, Replaneje para não desistir (https://www.onzedemaio.com.br/andre-soares-replaneje-para-nao-desistir/), tive que colocar em prática esse replanejamento para mudar de dentro para fora.
Um dos pontos que mudou com esse replanejamento foi entender a diferença entre hiperprodutividade, produtividade e tempo, pois são palavras que assolam demais a mente, justamente por não sabermos a diferença entre elas e querermos fazer tudo de uma única vez.
Antes, ficava muito tempo para poder concretizar uma tarefa. Levava 8 horas (ou até mesmo 12 horas) para concluir e, no final, além de estar muito cansado, não tinha ânimo para fazer mais nada. Acabava me limitando e dizendo que o tempo era curto demais.
Mas hoje posso falar que mudei a forma de pensar sobre o tempo e o que levaria 8 horas para ser realizado estou fazendo em 4 horas.
Qual seria a sua reação se dissesse que todos podem fazer a mesma coisa.
Muitos podem dizer: André você está louco! Preciso de 24 horas! Eu quero mais 24 horas para completar o meu dia e as tarefas! O dia poderia ter 32 horas e mesmo assim vai faltar!
A grande pergunta é entender que, se pedisse mais tempo, teria resultado efetivo na vida?
Não adianta só ficar falando que não tenho tempo, que quero mais tempo, se na realidade não estou conseguindo é administrar o tempo que tenho. Quando você coloca prioridade nas coisas que precisam ser feitas, já é o primeiro passo para entender melhor como está usando o tempo.
Existe um termo que gosto muito de usar que é high stake (alto risco).
O quanto você vem se arriscando na vida?
A barreira do padrão precisa ser quebrada a todo instante para não ficar preso ao sistema e nem às pessoas. Ao reclamar do tempo, preciso refletir se estou fazendo o que desejo, ou se estou fazendo o que as pessoas estão falando.
Quanto mais me arrisco na vida, mais abro as portas da oportunidade e do entendimento.
Ao pedir mais tempo, tenho mais horas produzidas ou produtivas?
É um questionamento que normalmente não é feito porque vivo um padrão. O padrão é a minha realidade. Viver no padrão é viver o que as outras pessoas estão vivendo.
Por isso o mais importante é ter produtividade nas horas que estou colocando mais atenção no que estou fazendo. Voltamos ao ponto de ter prioridade. Priorizar as tarefas e criar a sinergia do high stake (alto risco), se arriscar naquilo que faz sentido para a vida e não para o que o sistema está desejando.

Preciso ter clareza no que faço observar/verificar se está me levando em direção aos meus sonhos, em direção ao que desejo, em direção ao que realmente quero para a minha vida.

O que quero dizer com tudo isso é que, ao invés de querer só produzir o tempo todo, devemos usar as horas para ter produtividade. Começar a enxergar as coisas de uma forma diferente. O padrão, ou seja, o sistema quer que fiquemos produzindo que nem um louco a todo o momento para atingir a demanda de resultado. Agora, quando não atinjo o resultado, sempre vou acreditar que a culpa não é minha.

Criar produtividade, não é fazer 10 coisas ao mesmo tempo. É fazer o que for possível com mais atenção e dedicação.

Isso é estar 100% inteiro, focado e dedicado no que realmente quero realizar na vida.

Quando falo em 100%, pode surgir a seguinte pergunta: Mas ninguém consegue estar 100% focado naquilo que deseja.

O fato de falar ou pensar que ninguém consegue, é justamente o que o padrão quer.

Quer que continue limitado, parado sem força para buscar o que deseja e achando que nunca vai estar 100%.

Por isso que ser high stake (alto risco) é arriscar cada vez mais, é sair do padrão, é quebrar as regras do sistema que diz que não consigo que preciso produzir a todo instante para alcançar um resultado que não faz sentido.

Consigo ser um high stake da noite para o dia?
Claro que não. Estarei faltando com a verdade se dissesse que seria num estalar de dedo. Mudar hábitos é um processo diário e constante. Por isso preciso observar se o meu comportamento está seguindo um padrão de só ter uma vida voltada a resultado e reconhecimento.

A mudança de hábito leva trilhar a jornada que escolhi para viver. Novos hábitos é entender que sou criado para ser conservador, para seguir padrões, para seguir ordens e trilhar um caminho que não é meu. Não sou criado para desbravar, para ser um high stake, para criar alto risco, sou criado para estar na zona de conforto.

O alto risco faz olhar como está o meu relacionamento comigo mesmo. Como estou me relacionando com meu interior, com a minha mente, com a vida e se estou sendo claro, direto e sincero com as minhas decisões e ações. Isso faz com que entenda os meus medos, os limites e os comportamentos que tenho diariamente.

Desta forma entendo que a produtividade precisa estar em sintonia com o que realmente desejo.

Trabalhar para concretizar sonho e não somente para pagar dívidas.

Trabalhar para evoluir e não só pela obrigação da sobrevivência.

Se não for claro e honesto comigo mesmo, vou viver uma vida pautada no que o sistema vai impor sem que faça sentido algum.
Como está vivendo a sua vida?

Vivendo uma vida realizada ou satisfeita?

Essas perguntas ajudam a construir a implantação de novos hábitos. Preciso questionar constantemente as minhas ações para refletir se estão fazendo sentido ou não.
Realização tem relação com o ter – mantém-se por algum momento. Ganhei uma promoção.

Comprei um carro. Comi a pizza que desejava.
Satisfação tem relação com o ser – mantém-se pela vida. Propósito de vida. Ações que leva em direção ao sonho de vida.

Por esse motivo preciso criar o hábito de ser high stake e correr mais risco na vida para viver mais satisfeito do que realizado.
Um exemplo que gosto muito de usar é o fato de jogar poker.

Muitas pessoas acreditam que poker é um jogo de azar, cartas marcadas e viciantes. Mas vejo o poker como uma grande oportunidade de aprendizado, à qual, em uma única rodada, posso sentir várias emoções.

Cada jogador cria a sua estratégia, cria sua forma de ver o jogo e até mesmo cria a forma de como se relacionar na mesa de poker.

Eu gosto de falar, de ficar contando história para ver como os adversários se comportam. Estudar comportamento é fundamental, pois da mesma forma que vejo o adversário, ele também está olhando e estudando o meu comportamento.

Enfrentar padrão e entender como me comporto diante do padrão.

Outro ponto importante do poker é quando você tem 20 segundos para realizar uma aposta. A pressão é grande. A emoção de dar ou aceitar um all in faz com que a energia seja canalizada de uma forma explosiva.

Quantas vezes preciso tomar uma decisão em 20 segundos que pode mudar a minha vida?
Quantas vezes sou conservador na hora de tomar uma decisão?

Quantas vezes me arrisco?

Ao se tornar um high stake, não vai apenas ser uma pessoa que arrisca, estará dando a oportunidade para conhecer a hiperprodutividade.

O que seria hiperprodutividade?

É a combinação da sua gestão de calendário (toda a tarefa do dia a dia), com a gestão de energia para realizar as tarefas.

Essa combinação otimiza completamente o tempo na vida.

Ao desprender energia para fazer o que realmente é necessário no dia a dia, será uma pessoa hiperprodutiva chegando ao final do dia sem exaustão, mais feliz e muito mais satisfeita.

Agora, quando desprendo energia para fazer qualquer coisa, de qualquer jeito, ou aquilo que aparece para fazer, ou fico buscando o que fazer, terei uma vida desgastante sem energia e, pior, sem rumo.

Com esse pensando voltamos ao padrão: Nossa André, não tenho tempo para fazer nada. Preciso de mais tempo. Ou fica repetindo que faz tanta coisa e parece que não fez nada.
Nesse momento que estamos, vivemos um grande dilema.

Como avançar na vida? Como viver uma vida evolutiva?

Preciso gerenciar a energia e assim equilibrar o corpo e a mente para identificar a atividade principal que preciso realizar no dia, para que ela se torne mais fácil e eficaz para ser executada de uma forma mais direta e materializada.

Outro mal que leva para o padrão é querer criar a gestão do tempo.

Pessoas como Bill Gates tem o mesmo tempo que qualquer pessoa, mas sabe o que diferencia?

É a gestão de prioridades. Saber qual é a prioridade do dia. O fato de ser um high stake vai condicionar o seu cérebro a buscar prioridades constantemente.

Ao priorizar tarefas na vida, entro na órbita da criação de metas, de objetivos, dos sonhos para viver enfim uma vida satisfeita.

Falo muito de conexão, então chegou a hora de conectar-se com pessoas que vencem na vida, que criam gestão de prioridades, para que possa aprender e colocar em prática. Por isso repito quantas vezes for necessário, sou a média das cinco pessoas que ando.
Não posso invejar pessoas, preciso aprender com pessoas que realmente agrega valor na vida.

Não adianta querer mudar um dia ou duas vezes na semana, preciso querer mudar todos os dias.

André Soares
Coach | Escritor
[email protected]
Instagram: @andresoarescoach