Olá leitoras e leitores, espero que estejam cuidando da saúde com muita proteção. Não se esqueçam de usar máscara e álcool em gel, eles são as maiores defesas que temos contra a Covid.


O assunto dessa semana é algo que assombra demais a mente. Quando falo em depressão entendo que cheguei ao meu limite da capacidade mental e que desse ponto para frente não tenho mais controle emocional.
A depressão hoje é uma das doenças que mais matam no Brasil e no mundo, justamente porque não se consegue criar forma para enfrentar a situação que está passando no momento atual.
Mesmo diante de todo esse quadro que vivemos, posso dizer que sou capaz de causar depressão em mim mesmo?
Como assim André, eu sou capaz de gerar depressão em mim?
Sim, isso é possível. Acontece porque sou capaz de gerar uma quantidade de pensamento e emoção intensos voltados para a direção errada. Usamos a capacidade que temos de potencializar as coisas seja para o lado negativo ou positivo.
Verifique como vem passando os dias. Veja se está com a energia baixa, com a autoestima baixa, sentindo incapaz, reclamando constantemente e achando que não está produzindo nada.
Se estiver dessa forma, então está usando a sua mente contra você.
Por isso sou capaz sim de gerar depressão. Quanto mais ficar se comportando dessa forma, negativamente, irá se afastar da sua capacidade emocional de controlar as decisões e ações.
No período da minha depressão, foi exatamente o que vivi. Foram dias, semanas, meses e anos achando que não servia para nada, que era uma pessoa incapaz e que a vida era uma droga, que não tinha nada de bom. Fui abandonando a vontade de viver fechado no meu mundo escuro sem esperança de realizar absolutamente nada.
Claro que isso não cabe quando a doença é patológica, quando a doença vem de dentro por causa da genética e outros fatores pré-existente. Nesse caso, eu sempre vou indicar que procure um médico para resolver a doença.
A grande maioria das pessoas, digo, 70%, são pessoas auto criadoras de doença.
O nosso equilíbrio emocional é perdido quando auto criamos a doença e vivemos a pressão do externo. Nesse momento, junto o meu pensamento negativo com a cobrança que vem do externo. Se não tiver equilíbrio, com certeza vai viver uma expectativa que não existe e vai fugir da realidade existente.
Esse conflito entre expectativa e realidade faz com que se apegue a coisas que não existem como potencializar os pensamentos negativos. E pior, sempre vai achar que nada está bom, que está sempre ruim.
Um exemplo prático desse conflito de expectativa e realidade.
Ninguém levanta com raiva de alguém, mas, durante o dia, você pode sentir raiva de uma pessoa.
Nesse momento, foi criada uma emoção que acabou sendo potencializada negativamente. Conclusão passou o dia inteiro com raiva, só pensando na pessoa e potencializando tudo de negativo.
Agora, se no dia seguinte levantar com raiva e ficar pensando na pessoa negativamente, o que está fazendo? Está forçando a sua mente, treinando-a para ficar com raiva constantemente, então você está criando doença para si.
Vivemos numa linha tênue entre o equilíbrio e o caos, da qual escolho onde os pensamentos vão ficar. Quais as emoções vou gerar e quais as ações vou tomar.
Eu escolho o que realmente quero fazer e viver.
Vivi a depressão justamente porque não consegui equilibrar os meus pensamentos diante daquele caos que estava vivendo.
Para piorar, fiquei alimentando tudo de negativo que as pessoas falavam sobre mim, sobre a minha situação, sobre a minha vida, sobre a pressão de ser o melhor sempre, sofrendo as cobranças externas que transformei em meu fardo e foi aí que decidi que não deveria mais viver.
Tudo isso foi sendo potencializado constantemente em minha mente por um ano, e assim acabei adoecendo mente e corpo, os quais não respondiam mais.
Depois de três anos vivendo dessa forma, aprendi que teria que mudar os pensamentos e a forma de agir. Não poderia mais ficar alimentando minha mente e corpo de coisas ruins que não me levava a lugar nenhum. Na realidade, o único lugar que me levava era para o passando, achando que poderia mudar o que passou e deixando de viver a realidade que era de escuridão, medo e abandono que estava passando.
Nesse momento do despertar resolvi assumir que estava doente, que precisava de ajuda e que deveria encontrar quem era o André de verdade.
Ao mudar os pensamentos, a mente começou a produzir energia vital, que fortaleceu o corpo. As minhas orações começaram a surtir efeito resgatando a força interna que fazia levantar todos os dias para enfrentar a realidade e não o passado e nem o futuro.
Isso aconteceu da noite para o dia? Claro que não. Foi uma reconstrução que já chega há quatorze anos com muito amor, carinho, verdade, perdão, desapego que foram fortalecendo mente e corpo todos os dias. Quando cria essa sintonia não irá gerar doença para si.
90% do sofrimento humano são gerados pelo nosso pensamento, onde a nossa mente domina todas as ações.
Vou deixar aqui três sintomas que identificamos uma mente doente.

1 – Sintoma: Está sendo consumido pelos pensamentos que desenvolve a letargia
Letargia – estado físico em que as pessoas se encontram com seus níveis de energia baixos além do normal. A letargia vem do consumo excessivo de pensamentos negativos.
Quando consumo pensamento negativo constantemente, não tenho vontade de levantar, de não fazer nada e só fico remoendo coisas negativas que foram vivenciadas no passado.
Não tem vontade de sair da cama do quarto e sem vontade ver a luz do dia. A vida para literalmente.
2 – Sintoma: sólidas conclusões te aprisionam em sua mente
As conclusões geradas por determinados assuntos em nossa mente, além de aprisionar, tira a capacidade de experimentar coisas boas e novas da vida.
Quanto mais sólidas forem essas conclusões, mais se identifica com elas.
Eu não sou capaz?
A minha vida não presta?
Não consigo mudar?
Por que ninguém me ajuda?
Isso acontece muitas vezes porque não tenho a capacidade de interpretar o drama que estou vivendo na realidade, no agora. Aí acaba potencializando tudo de uma forma negativa e não consegue enxergar as coisas boas que vem realizando.
O fundamental nesse ponto é não tirar conclusões precipitadas.
3 – Sintoma: Não usar o seu conhecimento em todos os aspectos da vida
Temos a grande capacidade de aprender muitas coisas, mas, por outro lado, temos a capacidade ainda maior de não colocar esse aprendizado em prática.
Isso mostra o quanto somos uma grande fonte de gerar doença.
Ao aprender algo, preciso colocar em prática aquilo que faz sentido à minha vida. Aquilo que me leva a alcançar o meu objetivo trazendo satisfação.
Passei por esses três sintomas e hoje, depois de toda a mudança seguida da transformação que fiz na vida, pude compreender a depressão. Como ela é gerada, o que ela traz e como é difícil sair dela se não tiver força de vontade e querer a ajuda.
Assim pude entender que tenho a capacidade de gerar doença como tenho a capacidade de sair da doença.
90% do sofrimento humano são gerados pela nossa mente.

André Soares
[email protected]
Instagram: @andresoares_coach