Anápolis é o terceiro município do país a buscar em Goiânia referências técnicas para equacionar as contas públicas.

Comitiva da Secretaria da Fazenda, liderada pelo titular da ppostalpasta, Marcos Abrão Roriz Soares de Carvalho, esteve na capital nesta segunda-feira (19/11) para obtenção de subsídio técnico a respeito do processo, incluindo a reforma da previdência, que conduziu a prefeitura ao pagamento de dívidas, equilíbrio das contas e recuperação da capacidade de investimento. Este ano, Goiânia recebeu também delegações de Campinas e Ribeirão Preto, em São Paulo. As visitas foram recomendadas pelo Ministério da Economia.

No encontro, o secretário de Finanças de Goiânia, Alessandro Melo falou sobre como a prefeitura colocou fim ao descompasso entre receita e despesa, zerou do déficit mensal de quase R$ 31 milhões e obteve superávit primário – diferença entre receitas e despesas, excluindo-se da conta as provenientes de juros – de R$ 148,1 milhões. No ano passado, Goiânia conseguiu crescimento real de 19,97% nas receitas e manteve sob controle as despesas, que evoluíram apenas 2,31%. As receitas próprias do município têm a maior contribuição para este desempenho positivo, com alta nominal 24,47%.

Cenário totalmente diferente do revelado no início de 2017, primeiro ano da atual administração, quando as receitas tiveram queda de -3,62%; as despesas, evolução de 1,58% e havia déficit mensal de quase R$ 31 milhões, além de mais de R$ 600 milhões em dívidas deixadas por outras gestões. “A administração esteve pautada no corte de gastos e no ajuste de contas para que pudéssemos viabilizar novos investimentos. Foi um período de complexa travessia. Nossos esforços para superação de desafios, sem deixar de lado a busca por mais eficiência nos serviços para população, foram incessantes”, avalia o prefeito Iris Rezende. A reunião foi acompanhada por técnicos das secretarias de Finanças de Goiânia e da Fazenda de Anápolis.