Importação de commodities americanas ao Brasil cresceu 27% em 2020, ajudando o governo dos EUA a acumular U$ 146 bilhões em vendas. Brasil comprou arroz, trigo e até soja dos americanos

Ao lado da China, o Brasil ocupa importante colocação em uma lista de importadores de commodities americanas. Em 2020, a submissão do governo Bolsonaro ao então presidente Donald Trump rendeu bons frutos aos EUA: graças a um aumento de 27% na importação, pelo governo brasileiro, de produtos como arroz, trigo e até de soja – que o Brasil deveria vender – os EUA acumularam U$ 146 bilhões em exportações.

Graças à eliminação da Tarifa Externa Comum (TEC) de vários produtos, os americanos puderam exportar mais ao Brasil. O comércio do trigo, por exemplo, aumentou em 84% no ano passado, enquanto a exportação do arroz saltou 82%.

Mais um grande feito do governo Bolsonaro, que especializou-se em comprar mais até mesmo produtos que apresentam safras recordes, como a soja. Segundo colunista da ‘ Folha de S. Paulo’, Mauro Zafalon, por causa do Brasil, o comércio com a América do Sul voltou a ser positivo.

Amigos, amigos. Negócios à parte. Em que pese as diferenças ideológicas com a Venezuela, os EUA obtiveram êxito em subir 154% as exportações para o vizinho do Brasil. Segundo informa Zafalon, as vendas incluem trigo, milho, arroz, soja e produtos lácteos. Produtos que poderiam ter sido vendidos pelo governo brasileiro que sempre esteve mais preocupado em lamber as botas de Trunp do que em promover superávit da balança comercial.

Da Redação, com informações de ‘Folha de S. Paulo’