O documentário “Advogados contra a Ditadura”, do cineasta Silvio Tender é uma homenagem aos operadores do Direito que mantiveram o ideal de Justiça nos tempos do arbítrio.

Silvio começa a obra com uma revelação pessoal:

“Em 1969 era estudante de Direito na PUC do Rio de Janeiro. Estava na aula de introdução à Ciência do Direito, quando li uma pequena notícia que dizia: Presos os advogados dos presos políticos. Sai de sala, abandonei o direito e decidi ser cineasta. Com este filme homenageio a todos os advogados que por todos estes anos permaneceram lutando por justiça e liberdade”.

Tendler é autor de outros documentários importantes sobre o período de arbítrio, como Jango e JK. Neste filme ele narra, para além da militância dos advogados em favor dos direitos humanos a luta pela construção da Lei da Anistia. É também um retrato importante da parcialidade da Justiça Militar e do alinhamento do STF (Supremo Tribunal Federal) com este período de arbítrio. Alguma semelhança com os tempos atuais?

O filme foi inspirado no livro “Advocacia em tempos difíceis – Ditadura Militar 1964-1985”, coordenado por Paula Spieler e Rafael Mafei Rabeiro Queiroz. A obra contém entrevistas com advogadas e advogados que atuaram na defesa de presos políticos entre 1964-1985.O livro foi patrocinado pelo projeto Marcas da Memória, da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.

A advocacia vive momentos difíceis com o “Direito de Curitiba” ou “Direito da Lava Jato”. Nesta edição o Onze de Maio disponibiliza o PDF do livro e a integra do documentário que está disponível no Youtube.

Clique AQUI e baixe o PDF do livro

Veja abaixo o documentário: Os Advogados contra a Ditadura: Por uma questão de Justiça.