Assim como o Fluminense de Feira de Santana,com a contratação do feminicida Bruno, o Dragão Campineiro choca as mulheres com anúncio do goleiro Jean, demitido do Tricolor do Morumbi por bater na mulher.

Atlético Goianiense acertou nesta segunda-feira 13/I a contratação por empréstimo do goleiro Jean, do São Paulo. O atleta, de 24 anos, foi preso durante as férias acusado de agredir a esposa nos Estados Unidos (e solto posteriormente sem pagamento de fiança). O processo segue em andamento na Justiça estadunidense.

“Estou aqui para comunicar que o Atlético contratou o Jean, que vem com um problema familiar, uma questão que não apoiamos, mas entendemos que é um grande atleta e uma grande oportunidade e eu sou amigo do empresário dele e conseguimos efetivar essa contratação por entender que é um grande atleta e que todo ser humano merece ter oportunidade na vida. Todos temos problemas, todos nós erramos e o Atlético vai dar todo o respaldo para que ele possa conseguir retomar sua carreira, acredito muito no profissional”, disse Adson Batista, presidente do Atlético-GO.

O Atlético é um clube de família. Já tivemos problemas no passado e tomamos a atitude certa e vamos tomar de novo, é um grande profissional que sabe que não pode errar mais e cometer esses equívocos. Acreditamos que todo ser humano pode se recuperar. O Atlético vai dar toda a condição dele fazer um grande trabalho e o Atlético não podia perder essa oportunidade”, prosseguiu.

O anúncio da contratação, feito via Twitter, gerou repercussão negativa entre os torcedores:

 

Luíza Crispim@Crispim2Luiza

Como pode isso ? Desde q nasci sou atleticana e essa é a primeira vez q sinto vergonha de torcer pro atlético, VERGONHA. Com essa contratação me sinto profundamente ofendida, como mulher n posso ver o acg jogar com esse cara.

CARLOS MESQUITA @carl_mesquita

Vergonhosa essa contratação! Nos intitulamos o “Clube da Família” e contratarmos um agressor de mulheres covarde! Já não temos um marketing eficiente, ainda fazemos questão de queimar a imagem do clube com essa mídia negativa, parabéns!

 

Licia Abreu@lilahgyn

Como pode isso ? Desde q nasci sou atleticana e essa é a primeira vez q sinto vergonha de torcer pro atlético, VERGONHA. Com essa contratação me sinto profundamente ofendida, como mulher n posso ver o acg jogar com esse cara.

Em seu Facebook, a jornalista Josiane Coutinho, atleticana de carteirinha, não poupou críticas à direção do time da Campininha:

O Atlético Goianiense, meu time do coração, contratou o goleiro Jean. Lembram dele? O cara que agrediu a esposa nos EUA com oito socos. A esposa agredida denunciou por meio das redes sociais e ele foi preso. Antes disso, fez chantagem emocional, disse que as filhas DELA (porque nessas horas os filhos são da MÃE) passariam fome.
Nos orgulhamos de dizer que somos a torcida da família e essa contratação é um tapa na cara e um recibo que diz: “Você pode agredir mulher que tá tudo bem”. Não está nada bem!
A cada 4 minutos uma mulher é vítima de agressão no Brasil. Que imagem nós queremos passar às mulheres que, assim como eu, vão ao estádio prestigiar o time?
Sinceramente estou indignada com essa contratação, como mulher, torcedora e cidadã. Olha só, Jean, a mulher agredida não acabou com sua carreira porque, infelizmente, ainda tem gente com coragem pra contratar você. Vaza, embuste agressor de mulher!!”, fuzilou.

Goleiro Bruno

O Atlético-GO segue o péssimo exemplo do Fluminense de Feira de Santana que contratou o goleiro Bruno (ex-Flamengo), preso em 2010 pela morte da modelo Eliza Samúdio, mãe de seu filho.

Jessica Senra, jornalista da afiliada da Rede Globo na Bahia, decidiu se posicionar a respeito da contratação do goleiro Bruno.

Assim que foi noticiar a possível contratação do jogador pelo time Fluminense de Feira de Santana, a apresentadora da atração ‘TV Bahia’, fez questão de ressaltar a importância de dar trabalho aos ex-condenados da justiça, mas não concordou com a decisão do clube, uma vez que isso elevaria a imagem do assassino.

Além disso, a jornalista fez questão de ressaltar que acredita que o craque retome a sua vida e possa trabalhar, mas não com a posição de ‘ídolo’. Mais tarde, a apresentadora resolveu compartilhar o vídeo de seu desabafo nas redes sociais.

“Um condenado pode e deve ser ressocializado. Deve merecer uma segunda chance. Mas penso que, depois de um crime tão perverso, voltar a ser ídolo, a estar numa posição que lhe confere status de ídolo, é bastante questionável. Penso que o feminicida deve voltar ao trabalho, mas não no futebol, não como ídolo. Defendo sua ressocialização, mas longe de qualquer torcida.

Vídeo completo no site do Atlético: http://bit.ly/2NlQiHV

 

(Com informações do Conversa Afiada, Blog da Ana Maria e Facebook).