Prefeito Francisco Castilho atende pleito da Associação de Aquicultura e Pesca de Inaciolândia (AAPI), que reúne 84 famílias, e desapropria áreade 2 hectares  nas margens do Lago de São Simão para implantação de tanques de pesca e instalações para processamento de peixes no município.

 

Aquilo que era para ser uma demanda judicial virou um grande projeto social. Desde 2014 pescadores ligados à Associação de Associação de Aquicultura e Pesca de Inaciolândia buscam entendimento com os proprietários da Fazenda São João, cuja área faz parte da Usina São Francisco (USF), da multinacional Cargill, onde se realiza produção de etanol, açúcar VHP, proteínas, fibras e energia elétrica.

Histórico

Luiz Carlos, o Luizinho da Brahma discursa em nome da Associação de Aquicultura e Pesca de Inaciolândia. Ele agradeceu o apoio do prefeito, vereadores e do deputado ao pleito das famílias de pescadores.

A associação que representa 84 famílias de pescadores reivindicou desde o início de suas atividades em 2014 a utilização da área do Lago da Usina de São Simão  para implantação de aquicultura na modalidade tanque-rede, tendo como objetivo a criação de tilápias. Os administradores da usina sempre foram contra, embora a área em questão seja de domínio da União, uma vez que margens de lagos, rios e córregos são de reguladas pela Marinha do Brasil. Além de obstacular a atividade dos pescadores, a usina também avançou sobre a margem do rio, promovendo desmatamento e ameaçou retirar os pescadores do local.

Para resolver o impasse, a AAPI procurou o advogado Cleuber Cardoso que expôs a situação ao prefeito de Inaciolândia, Francisco Castilho, enfatizando sobre os direitos que os pescadores têm de utilizar as áreas de domínio da União para atividade pesqueira. O prefeito entendeu que a reivindicação é de pleno direito e atendeu ao pleito dos pescadores encaminhando à Câmara Municipal projeto de desapropriação de uma faixa de terra de 2 hectares nas margens do Lago de São Simão para implantação das atividades da Associação de Aquicultura e Pesca de Inaciolândia.

 

Compromisso

Prefeito Francisco Castilho

Neste domingo, o prefeito Francisco Castilho reuniu-se com as 84 famílias que compõe a associação. No evento, Francisco Castilho estava acompanhado pelo deputado estadual Paulo Cesar Martins (MDB), pelo presidente da Câmara de Inaciolândia, Ueldes Costa, pelo vereador Alair Peixoto e do secretário de Governo,  Edimilson Martins.  Responsável pelo patrulhamento da região, o Sargento Belair também compareceu à atividade, assim como Adauto de Souza Almeida, Coordenador de Aquicultura e Pesca do do Ministério da Agricultura de Goiás, que no ato representou o Superintendente da Aquicultura e Pesca no Estado.

Francisco Castilho reafirmou o interesse no desenvolvimento do Pólo Pesqueiro em Inaciolândia e o seu compromisso e dos vereadores presentes, em acelerar a votação na Câmara Municipal do decreto de desapropriação.

O deputado estadual Paulo Cesar Martins enfatizou que o prefeito Francisco Castilho demonstra sensibilidade social atendendo ao pleito das famílias que através da regularização da sua atividade asseguram o direito de garantir a sua sustentação, além de gerar riquezas para o município. “Podem contar com todo nosso empenho na Assembleia Legislativa para que este projeto seja vitorioso”, frisa. O vereador Alair Peixoto afirma que o direito ao trabalho é sagrado, e os pescadores de Inaciolândia tem o direito de ver reconhecida a sua atividade, que vai gerar renda e dignidade às famílias.

Deputado estadual Paulo Cesar Martins, Adauto de Souza Almeida, Coordenador de Pesca do Ministério da Agricultura, Prefeito Chiquinho, vereador Ueldes, presidente da Câmara e Zé Mulambo, membro da AAPI

Adauto de Souza salienta que a aquicultutura em tanque-rede é uma das atividades pesqueiras que mais crescem no país. Ele informa que esta é uma modalidade sustentável, que tem menor impacto no meio-ambiente, garantindo a preservação das espécies locais.  Segundo ele, Goiás é um dos estados com maior potencial instalado para o crescimento da aquicultura, uma vez que o Estado possui alguns dos maiores lagos do país, como o Lago de São Simão, onde está instalada a AAPI, bem como os lagos de Cana Brava e Serra da Mesa em Minaçu, o Lago das Brisas em Buriti Alegre e de Três Ranchos, e outros.

Luiz Carlos Santos, o Luizinho da Brahma, agradeceu em nome dos pescadores o compromisso do prefeito e o empenho das autoridades presentes. Segundo ele, a Associação de Aquicultura  e Pesca de Inaciolândia já está com entendimentos com investidores nacionais e internacionais para instalação de uma fábrica de gelo e um frigorífico de peixes na área da associação, cuja meta é a produção de 1.600 toneladas de peixes/ano. O objetivo é a venda do filé de tilápia e a transformação dos demais produtos do peixe (pele, ossos) que se destinam à produção de calçados, óleo e ração animal. A presidenta da associação, Helena Oliveira Marques diz que a desapropriação consolida a atividade pesqueira e proporciona condições para que os associados pleiteiem outros benefícios como acesso ao crédito bancário e parcerias para consolidar a atividade.

Para o advogado Cleuber Cardoso, o desfecho da luta dos pescadores de Inaciolândia é uma demonstração de que com organização, respeito, diálogo e sensibilidade social, a sociedade e os governos – nos seus mais variados níveis -, encontram soluções que garantem paz social e desenvolvimento econômico para a coletividade.