A gestão Jair Bolsonaro é rejeitada por 57% e aprovada por apenas por 35% dos brasileiros. É o que indica a nova rodada da pesquisa PoderData divulgada nesta quarta-feira (28). Nos recortes do levantamento, há três segmentos em que a desaprovação é proporcionalmente maior: entre as mulheres, entre os mais jovens e no Nordeste.

Do Portal Vermelho

A divisão entre sexos é notória em toda a série histórica e se mantém na última pesquisa. A aprovação a Bolsonaro é de 40% entre os homens e de 30% entre as mulheres. Quanto à reprovação, o índice vai a 59% no segmento feminino, contra 54% no masculino.

No recorte por idades, o melhor desempenho de Bolsonaro é entre brasileiros de 45 a 59 anos. Ainda assim, o percentual de brasileiros nessa faixa etária que o rejeitam (47%) supera o índice dos que o apoiam (42%). Em contrapartida, é entre os eleitores mais jovens – de 16 a 24 anos – que a insatisfação com o governo é pior.

Já na comparação entre as cinco regiões brasileiras, o Sul é a única em que a aprovação a Bolsonaro supera consistentemente a rejeição (54% a 36%). No Nordeste, a situação se inverte. Três a cada quatro eleitores nordestinos (74%) reprovam o bolsonarismo no poder, enquanto 25% o apoiam.

Na avaliação do site Poder360, que publica as pesquisas do PoderData, o governo Bolsonaro “interrompeu a deterioração de sua avaliação, iniciada em meados de março, quando a pandemia de coronavírus atingiu um novo pico de mortes. De lá para cá, o número diário de vítimas de Covid-19 cresceu, mas o presidente conseguiu estancar a queda nos níveis de aprovação”. Hoje, “tanto o governo quanto o trabalho pessoal de Jair Bolsonaro seguem com apoio de cerca de 1/3 do eleitorado”.

Só que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 pode jogar contra essa estabilização. Instalada nesta semana, a CPI trará à luz e destrinchará as criminosas omissões do governo federal no combate à pandemia.

O PoderData ouviu 2.500 brasileiros, em 482 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.