Aziz diz que Bolsonaro apostava na imunidade de rebanho e no tratamento precoce com medicamentos sem eficácia comprovada, como a cloroquina.
“Essas duas coisas estão diretamente ligadas a ele. Não tem jeito. Ele (Bolsonaro) foi quem falou diretamente sobre cloroquina”, destacou.
“Ele se reunia muito mais com o ‘gabinete paralelo’ do que com o ministro da Saúde”, observa.
“Comportamento atípico em relação a qualquer líder mundial. Nem em uma republiqueta, que não tem absolutamente nada, o líder fica sem máscara, fica falando esse tipo de coisa.”
Com informações do Estaão, da Revista Fórum e do  Brasil 247