O procurador Deltan Dallagnol e outros integrantes da Lava Jato serão julgados na próxima terça-feira (7) pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por abuso de poder no caso relacionado ao PowerPoint apresentado em 2016 contra o ex-presidente Lula, de acordo com a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

Dallagnol e cia. apresentaram na época um gráfico por meio do qual apontavam Lula como o centro de uma organização criminosa. A denúncia contra Lula foi apresentada depois pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, à Justiça. Lula foi absolvido dela no ano passado pela 12ª Vara Federal de Brasília.

Segundo o advogado Cristiano Zanin Martins,  defendor do ex-presidente Lula (PT),  a acusação sequer fazia parte da denúncia do triplex, que havia sido protocolada no mesmo dia da entrevista coletiva. “Eles infringiram os deveres funcionais”, sustenta Zanin.

Ainda de acordo com a Folha, a representação contra Dallagnol será julgada na terça-feira 7/7 em sessão virtual na qual Zanin fará uma sustentação oral.

 

Defesa

A defesa do ex-presidente Lula pediu que o ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, compartilhe a cópia das mensagens trocadas entre procuradores de Curitiba sobre o caso do apartamento no Guarujá. A solicitação foi feita no curso do processo que analisa a suspeição de integrantes do Ministério Público Federal no Paraná.

O pedido, protocolado na noite desta quarta-feira (1º/7), ocorre depois que os sites The Intercept Brasil e Agência Pública divulgaram novas trocas de mensagens entre os procuradores da autointitulada “força-tarefa” da “lava jato”, a respeito da proximidade do MPF paranaense com o FBI.

“Os novos diálogos desnudados sufragam a necessidade de compartilhamento de prova outrora formulado em sede regimental, eis que, em reforço a tudo o quanto fora descrito e provado na inicial do writ, o material poderá revelar a extensão da atuação ilegal dos procuradores da República nos atos de persecução realizados contra o paciente”, afirmam os advogados de Lula.