Oito pessoas da etnia morreram nesta pandemia, entre eles, o cacique Vicente Saw Munduruku (no centro da fotografia de cocar vermelho). Imagem da assembléia geral do povo Munduruku na aldeia Katö, no rio Kabitutu, Alto Tapajós, em 2016.